[Artigo] - Como permanecer em conexão com o Eu Real diante de um Iceberg de emoções





Como permanecer em conexão com Eu Real diante de um Iceberg de emoções 



Por que tantas vezes você tem dificuldade para estar e permanecer no tempo presente?

Por que mesmo com muitas coisas aparentemente boas, você sente que algo o(a) incomoda internamente e não se sente feliz com as coisas que tem e que faz?

E com relação aos aspectos mais importantes da tua vida? Você alguma vez se perguntou se está focado nas coisas que gostaria de realizar? Ou de que forma seus pensamentos e sua percepção influenciam tua vida,  seu sucesso e os seus relacionamentos nos dias de hoje?

Se você realmente quer trabalhar em seu desenvolvimento pleno, se deseja estimular e despertar o imenso potencial que existe em você e que pode estar bloqueado por alguma razão que desconhece, se quer encontrar respostas e estratégias para o teu aperfeiçoamento, este artigo é para você. E meditar sobre essas perguntas poderá te ajudar!

Vamos entender melhor o que isso significa!       

Para se compreender de que forma começar a atuar de um jeito mais consciente e eficaz na sua vida diária, usando suas emoções e pensamentos a seu favor, é necessário conhecer em você o que bloqueia o seu acesso a padrões elevados de criatividade e contentamento com a sua  vida.  
É como um despertar, uma nova forma de escutar, ver, sentir e perceber o universo que o(a) rodeia. Compreender um pouco mais como as memórias do passado podem  gerar comportamentos e percepções não eficientes poderá auxiliá-lo(a) em seu despertar.

Para iniciar este processo de consciência é importante recordar alguns pontos importantes que estão ligados ao funcionamento cerebral.

O cérebro:

  • Atua para realizar duas importantes funções: movimento e sobrevivência;
  • Existem cem bilhões de neurônios do cérebro = a quantidade de estrelas da Via Láctea;
  • É capaz de receber 10 mil mensagens ao mesmo tempo;
  • A partir dessa grande quantidade de informações que recebe, um neurônio tira uma única conclusão, a qual, por sua vez, pode ser comunicada a milhares de outras células de todo o corpo;

  

  • Retém as informações e as divide em dois tipos principais de memória: De curto prazo e de longo prazo;
  • Acessa quando necessário todos os acontecimentos da sua vida que ficam registrados como arquivos de informações que possibilitam a tomada de decisões no futuro;
  • Busca estas informações a que chamamos de memória celular quando é importante.
  • Se necessário, as traz à superfície e elas podem interferir na sua capacidade de escolha ao longo de sua vida, ainda que não se recorde delas;
  • Seleciona entre as informações arquivadas, a mais eficaz para a sobrevivência, sua principal função;
  • Escolhe por sobrevivência e nem sempre a função selecionada facilita as mudanças que deseja fazer em sua vida;
  • Com altos níveis de estresse, entra em processos automáticos de luta e fuga, visando preservar a vida;
  • Sempre seleciona a ação que será a mais eficiente nas tomadas de decisões para a sobrevivência;

Com a necessidade de manter o indivíduo vivo e para economizar energia, o cérebro pode gerar repetição de padrões que foram eficientes na sobrevivência, mas nem sempre esta opção escolhida gera contentamento, satisfação, alegria de viver e percepção eficiente dos acontecimentos.

Por acessar apenas fragmentos do que aconteceu, na hora de montar o quebra-cabeça das lembranças, contam as emoções e a maneira como a pessoa percebeu o fato ocorrido.  A forma como você percebeu uma situação influenciará tuas ações no teu dia a dia. Porque a reconstituição de um acontecimente nem sempre é fiel totalmente ao que aconteceu, o estado emocional e a percepção de cada um influirá no modo como armazenamos e como lembramos das coisas. Portanto, tuas recordações serão “tingidas” pela forma como você sente ou percebe a realidade. Ou seja, um forma única e pessoal de ver e sentir a realidade, mas que não é totalmente real.

E é aí que queríamos chegar!  Esta percepção pessoal poderá ser eficaz ou extremamente limitante e ineficaz.

Muitas vezes a atuação baseada em percepções arquivadas do passado pode gerar atitudes reativas e que causam bastante conflitos internos e externos.

Alguns pontos importantes aqui será observar:

Ø Que tipo de pensamentos você costumar ter?

Ø Que tipo de emoção uma situação com esse pensamento te causa?

Ø Como costuma atuar para tomar decisões? Baseia-se em suas emoções? Em seus pensamentos?

Ø Costuma fazer pausas de reflexão antes de atuar, ou atua por impulso?

Para que possa começar a atuar de forma mais criativa na vida diária é necessário que faça pausas antes de atuar, coloque sua atenção  no que realmente deseja e conheça em você o que não deseja para poder modificá-lo. Procure atuar de forma mais consciente possível.

Porém, nesta  época tão materialista e com tanta competição, o condicionamento que recebemos é muito intenso e os níveis de estresse são muito elevados. Como estamos sempre agitados, preocupados e correndo, atuamos impulsivamente, sem dar tempo de reflexão. Isto pode gerar duas fortes tendências:

  • Uma impulsiva, que te leva a estados cada vez mais condicionados;
  • Outra, com pausas, reflexões antes de atuar e escolhas mais eficientes, que levam para uma vida mais criativa e equilibrada.

Somos seres emocionais.

Certo!

Mas nossas emoções estão nos levando para onde queremos ir? As emoções que agarramos nos direcionam a um estado elevado de consciência? Ou será que muitos de nós nos sentimos perdidos, em emoções conturbadas, atuando com agressividade com nossos semelhantes e reproduzindo ações e relações baseadas em memórias traumáticas e sentimentos ineficazes desses registros do passado?

Algumas perguntas bem pessoais para refletir:

Será que você sente que você é quem verdadeiramente quer ser? Ou em outras palavras: Você sente que está no mundo com confiança e a certeza de que suas ações, pensamentos e sentimentos são comandados realmente por você?

Será que suas memórias do passado estão influenciando suas ações, seus relacionamentos, seu trabalho, sua autoestima e as escolhas do que faz no dia a dia?

Ou será que por causa das emoções que viveu algum dia e nem sequer lembra, está sentindo que não é capaz de fazer boas escolhas? Ou até mesmo nem consegue fazer escolha alguma?

Sempre temos escolhas! Sempre podemos mudar nossa forma de atuar, sentir e pensar!

Para isto será necessário se aprofundar em sua Verdade Interna, observar teu nível de consciência e autoconhecimento.

Mas o que é Consciência?

Consciência é o raio de luz que ilumina a tua escuridão interior e mostra o caminho ideal a ser seguido para alcançar a plenitude.

Consciência envolve ter atenção com o que pensa, com o que sente e como atua. Mas não  apenas isso. Significa conhecer profundamente a si mesmo. Atuar a partir de estados mais elevados, fora dos condicionamentos recebidos como adulto, na infância ou adolescência. É estar no tempo presente e tomar decisões a partir do que vive nesse tempo, no agora. Estar ciente das coisas que estão acontecendo dentro de si mesmo e não se deixar envolver por emoções do passado arquivadas em suas memórias traumáticas. É fazer escolhas que elevem tua energia e as das pessoas à sua volta, mas sem a intenção de agradá-las ou de mudá-las, mas sim porque escolhe partilhar o melhor que há dentro de si com os demais. É respeitar os pontos de vista diferentes e aceitar que cada pessoa atua a partir do seu próprio nível de consciência.

Deixo aqui um exercício que permite acessar uma nova forma de perceber a realidade e que possibilita administrar suas emoções de forma mais eficiente, baixando os níveis de estresse do passado que geram ainda mais confusão no presente. Isso o(a) auxiliará sair de estados emocionais condicionados, pois quanto mais condicionado estiver, mais distante se sentirá da realidade criativa e intuitiva disponível para você no agora.

Como eu disse antes, uma das principais funções do cérebro é o movimento. Um movimento promove uma imensa quantidade de conexões cerebrais. Vamos realizar um movimento direcionado a estimular mudanças positivas:

Exercício de Indução Cerebral para promover mudanças emocionais e mentais:

Cruze os dedos das mãos, formando um X com os polegares.

Pressione levemente as mãos, respire fundo e repita:

Eu sou a escolha, eu aceito a mudança dos padrões que eu desejo mudar, eu aceito estas mudanças aqui e agora em minha vida. Eu direciono minha atenção e energia para as coisas boas e agradeço ao que vivo de bom em minha vida.

Repetir estas afirmações 3 vezes, realizando este exercício todos os dias pelo menos 1 vez por dia.

Pratique e veja como ele funciona em tua vida.

E termino este texto com esta frase de Henry Ford:

“Se você pensa que pode ou se você pensa que não pode, de qualquer forma você está certo.”

Um grande abraço de Luz e Fique em paz!

Alma em Plenitude